Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Pesquisar

Notícias

Filtro de Notícias
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
23/02/2018

O silêncio que mata

 

Cerca de 25% dos leitos em UTI são ocupados por pacientes sépticos

  Uma das principais causas de óbito nas emergências e Unidades de Terapia Intensivo, a sepse ainda é uma síndrome desconhecida pelo grande público. Segundo o Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), a mortalidade dos casos chega a 65% no Brasil. A sepse é uma síndrome complexa, constituída por uma série de manifestações graves do organismo em resposta a uma infecção. Essa infecção pode estar presente em apenas um órgão, porém é capaz de provocar um processo de resposta tão intenso que gera disfunções que afetam todo o organismo. O Hospital São Lucas da PUCRS possui um protocolo de diagnóstico e tratamento precoce de sepse desde junho de 2011. “Todos os colaboradores da enfermagem quando iniciam sua trajetória profissional no HSL são capacitados para reconhecer sinais de Sepse e proceder a abertura do protocolo e manejo. Além disso, também realizamos treinamentos com outros colaboradores como médicos, nutricionistas, acadêmicos e outros” explica Ana Paula Amestoy, enfermeira responsável pelo gerenciamento do Protocolo de Sepse, no Serviço de Controle de Infecção. Qualquer tipo de infecção pode se tornar uma sepse. Os cuidados de prevenção são os relacionados aos mesmos cuidados de saúde no geral. No Brasil, a sepse é a maior causa

Publicado em Imprensa do HSL
21/02/2018

Ressecamento na pele pode ser sinal de Dermatite Atópica

O maior órgão do corpo humano nem sempre recebe a atenção necessária, especialmente em estações de extremas temperaturas

  No verão, devido ao calor intenso a hidratação é fundamental para evitar o ressecamento da pele, e em alguns casos a Dermatite Atopica, que apesar de ser uma doença de causas variadas, não é transmissível. “A dermatite não possui um agente causador além da própria pessoa” explica o dermatologista do Hospital São Lucas da PUCRS, Luis Carlos Campos. A doença crônica pode surgir ainda na infância, com áreas avermelhadas em regiões próximas as dobras dos membros superiores e inferiores. Os focos da dermatite atópica causam coceiras, apresentam uma pequena crosta e descamam, devido ao ressecamento da pele. Situações de estresses ou excesso contato a produtos industrializados podem agravar os quadros de infecção. Porém, atopias como doenças respiratórias causadas por mudanças de temperatura e causas genéticas podem auxiliar no desenvolvimento da doença. A doença pode deixar a pele ressecada, por isso é importante mantê-la sempre hidratada, com ingestão de água e cremes apropriados. “Protetor de pele e produtos que possuem vitaminas são os ideais para evitar que a pele escame”, afirma Dr. Campos. É importante salientar que nenhum tratamento deve ser iniciado sem avaliação

Publicado em Imprensa do HSL
14/02/2018

Curso Internacional de Geriatria Clínica capacita médicos   Estão abertas as inscrições para a 3ª edição do Curso Internacional de Especialização em Geriatria Clínica. Essa qualificação é promovida pelo Instituto de Geriatria e Gerontologia da PUCRS e pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), de Portugal. As aulas são online e gravadas. As inscrições vão até o dia 12 de março.   O principal objetivo é capacitar médicos visando à promoção de saúde, prevenção, diagnóstico precoce e tratamento das principais doenças que ocorrem durante o processo de envelhecimento. A capacitação pode ser realizada também para profissionais de diversas áreas que desejarem aprofundar e aprimorar seus conhecimentos em temas relacionados ao envelhecimento humano.   Reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), o curso tem duração de um ano e inicia no dia 13 de abril, ocorrendo às sextas-feiras e sábados. Mais informações pelo e-mail pgmdgeg@med.up.pt ou pelo telefone (51) 3353.6050.

Publicado em Imprensa do HSL
09/02/2018

Doar sangue é dar esperança

Atualmente, apenas 3,5 milhões dos 207,7 milhões de brasileiros são considerados doadores regulares

  Frequentemente, o Ministério da Saúde divulga preocupantes números sobre doação de sangue. No país, apenas 1,7% da população é considerada doadora, sendo que a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 3%. Isso faz com que os hemocentros estejam sempre fazendo inúmeras campanhas e apelos para a comunidade, tentando conseguir repor seu estoque. No banco de sangue do Hospital São Lucas da PUCRS, em 2017 foram realizadas em média 629 doações por mês, não alcançando a meta, que era de 700 doações. Uma pessoa pode ajudar até outras quatro, porém tudo depende do fluxo das doações. Um bolsa de sangue é dividida, no mínimo, em três componentes: plasma, glóbulos vermelhos e plaquetas, com durabilidade de armazenamento de 1 ano, 35 dias e 5 dias respectivamente. Para tanto, as doações regulares e espontâneas são fundamentais na manutenção do estoque. “O cadastro de doadores é fundamental para que possamos suprir nossas demandas, pois muitas vezes temos muito fluxo de doações em uma semana e na outra uma baixa”, relata o coordenador do Setor de Hemoterapia, Marco Antonio Winckler.   Seja um doador e salve vidas! Para doar sangue é preciso

Publicado em Imprensa do HSL
09/02/2018

Alteração de local no setor de Ecografia

Para melhor atender a população, desde 06/02/2018, o setor de Ecografia, localizado no 2º andar do Centro Clínico, passa a ter suas instalações no Centro de Diagnóstico, no térreo do Hospital São Lucas da PUCRS. Na localização antiga permanecerá um guichê, durante todo o mês de fevereiro, para marcações de exames e orientações aos pacientes sobre o novo local do exame. Maiores informações pelo telefone: (51) 3320.3200. O CDI atende de segunda a sexta-feira: das 7h às 19h e sábado: das 7h às 13h

Publicado em Imprensa do HSL
08/02/2018

Ministério da Saúde anuncia novo investimento no RS

Recursos destinados ao Hospital São Lucas vão possibilitar a implantação de um Campus da Saúde inédito na Capital

  O Governo Federal vai investir mais de 70 milhões de Reais em uma iniciativa inovadora voltada à assistência e promoção da saúde no Rio Grande do Sul. O Campus da Saúde, projeto liderado pelo Hospital São Lucas da PUCRS (HSL), reúne ensino, pesquisa e assistência da Universidade em um modelo integrado de promoção e proteção da saúde da população. O anúncio foi realizado nesta quinta-feira, 8 de fevereiro, durante a visita do Ministro da Saúde, Ricardo Barros, ao HSL. A solenidade também contou com as presenças do Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra; do Secretário de Saúde de Porto Alegre, Erno Harzheim que também representou o Prefeito de Porto Alegre, e da bancada gaúcha, coordenada pelo Deputado Federal, Giovani Cherini.   Com a proposta de qualificar o atendimento da população, Barros conheceu a iniciativa que prevê ações de prevenção de doenças, diagnóstico, tratamento e reabilitação, atuando de forma multidisciplinar, aliando a pesquisa e o ensino de excelência com atendimento diferenciado, integrado às políticas do Gestor Público. Destes recursos federais anunciados, R$ 42 milhões serão para reformas, e R$ 28 milhões para a

Publicado em Imprensa do HSL
07/02/2018

Hospital São Lucas da PUCRS reestrutura ProntoPUC

A qualificação técnica da assistência e a promoção da saúde são os diferenciais da emergência destinada para pacientes de convênios e particular

Com foco na qualidade técnica da assistência, a emergência do Hospital São Lucas da PUCRS inicia um importante momento ao longo da sua história de mais de 4 décadas, com a readequação da área física do ProntoPUC. A estrutura traz um novo ambiente aliado à já reconhecida qualidade técnica da assistência, um grande diferencial do serviço. Ainda entre as novidades, destaca-se o atendimento 24h da equipe de cardiologia, onde o paciente com queixas cardiológicas, é atendido imediatamente pelo especialista. Segundo o Dr. Luciano Passamani Diogo, médico responsável pela linha de cuidado do paciente de emergência, o ProntoPUC reabre as suas portas não apenas com um novo espaço físico, mas, principalmente, com a melhoria dos seus processos e segurança nos procedimentos de medicação e assistência voltada ao paciente como centro das nossas ações. Seguindo uma tendência mundial nos serviços de emergência, o paciente é submetido a uma avaliação de risco sistematizada antes mesmo de realizar o cadastro para atendimento, com propósito de identificar de forma precoce os pacientes com maior risco de complicações priorizando seu atendimento pela equipe médica.

Publicado em Imprensa do HSL
05/02/2018

Conheça as doenças mais comuns entre as crianças no verão

Pediatra do HSL dá dicas de como evitar imprevistos com os pequenos nas férias

  O verão é a época do ano marcada pelas férias e por muita diversão na beira da praia e na piscina. Porém, ninguém aproveita tanto esse momento quanto as crianças, que adoram curtir o descanso das férias escolares com muitas brincadeiras ao ar livre. Para que esses momentos sejam marcados somente por lembranças boas, é importante que os pais fiquem atentos a alguns cuidados com a saúde dos pequenos. Por isso, a pediatra do Hospital São Lucas e decana associada da Escola de Medicina da PUCRS, Margareth Salerno, ensina como aproveitar o verão sabendo que os filhos estão protegidos:   Proteção Solar A queimadura é a grande vilã do verão. Por isso, é essencial seguir as já populares dicas de cuidados com a pele. Não deixe as crianças expostas entre das 10h às 15h ou, no caso do horário de verão, das 11h às 16h. Os bebês até os seis meses não devem ter exposição solar prolongada (praia, piscina, parques). Considera-se que 10 a 15 minutos, em horário adequado (sem o uso do filtro solar), duas ou três vezes por semana, são suficientes para manter níveis adequados de vitamina D com suplementação adequada. De seis meses a dois anos é indicada a proteção física, com roup

Publicado em Imprensa do HSL
01/02/2018

Neonatologia do Hospital São Lucas da PUCRS completa 40 anos e promove Simpósio Internacional

De 19 a 21 de abril de 2018, o Serviço de Neonatologia do Hospital São Lucas da PUCRS, realizará o VI Simpósio Internacional de Neonatologia de Porto Alegre juntamente com a VII Jornada de Enfermagem Neonatal. O evento acontecerá no Teatro do prédio 40, no Campus Central da universidade, e as inscrições já estão abertas e podem ser realizadas através do site do evento. Segundo o Coordenador do Simpósio de neonatologia, Dr Renato Fiori o evento faz parte da comemoração dos 40 anos da UTI Neonatal do HSL e tem como objetivo a constante atualização dos profissionais da área. O simpósio tem o apoio da Escola de Medicina da PUCRS, Sociedade Pediatria do Rio Grande do Sul e Programa de Pós-graduação em Pediatria.   UTI NEO Uma das primeiras unidades de tratamento intensivo para recém-nascidos no Brasil, criada em 1977, a UTI Neonatal do Hospital São Lucas da PUCRS conta atualmente com 35 leitos. Desde 1978, quando a unidade abriu as portas oficialmente, foram atendidos cerca de 30 mil recém-nascidos.

Publicado em Imprensa do HSL
31/01/2018

Brasil é segundo país com mais casos de Hanseníase

 

O Rio Grande do Sul é o estado brasileiro com menor taxas de registro da doença, porém os dados nacionais trazem à tona uma preocupação com a proliferação da enfermidade

  No último domingo de janeiro, é celebrado o Dia Mundial de Combate à Hanseníase. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil teve uma queda de 37% no registro de novos casos. Porém, o país é considerado o segundo no mundo com mais incidências de hanseníase, ficando atrás apenas da índia. Uma das doenças mais antigas do mundo, a hanseníase ainda é desconhecida por grande parte da população. Confundida com outras dermatites, a enfermidade tem cura e tratamento quando diagnosticada precocemente. Identificada por manchas avermelhadas na pele, em regiões com pouco ou nenhuma sensibilidade, a hanseníase pode afetar também os nervos periféricos, causando até paralisia nos membros. Segundo o dermatologista do Hospital São Lucas da PUCRS, Luiz Carlos Campos, a hanseníase não é transmitida facilmente. “Aproximadamente 80% da população tem resistência contra o bacilo causador da doença. A transmissão é via oral, mas não em exposições esporádicas. Deve haver convivência com o doente”, explica. Anos se passaram e a hanseníase, conhecida também como lepra, passou a ser uma doença tratável, e

Publicado em Imprensa do HSL