Doação de órgãos tem crescimento de 33% no HSL

17/01/2020

Resultado é reflexo do trabalho de conscientização desenvolvido pela instituição hospitalar

Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) tem boas notícias referentes à doação de órgãos: de 2018 para 2019 houve um aumento de 33% no número de doações. A taxa de não autorização familiar na Instituição chega a 25%, índice considerado baixo quando comparado ao mesmo indicador no Estado e no País, que fica em torno de 40%. Esses números levam o HSL a ser o hospital privado com o maior número de notificações de mortes encefálicas e doação de órgãos em Porto Alegre, sendo referência nesta área.

Organização de Procura da Órgãos (OPO-2) é responsável por coordenar todos os processos da área no HSL, atuando na identificação precoce dos possíveis doadores e, principalmente, no acolhimento familiar. O cuidado com as famílias é uma das principais preocupações, principalmente com as dos doadores: “A OPO estabelece uma relação de ajuda, através da empatia e, sobretudo, do respeito para que eles possam tomar a melhor decisão sobre a doação de órgãos. Muitas vezes a forma que a família é tratada desde que chega no hospital com o seu familiar tem um impacto significativo na hora de decidir sobre a doação”, lembra Dagoberto Rocha, enfermeiro da OPO.

Autorização da doação de órgãos precisa ser realizada pela família

legislação brasileira estabelece que a autorização para doação de órgãos depende do consentimento expresso da família, ou seja, os familiares serão consultados pelas equipes de procura de órgãos caso o respectivo familiar, após o falecimento, possua critérios clínicos para a doação de órgãos. Como citado anteriormente, atualmente no Brasil e no Rio Grande do Sul 40% das famílias não autorizam a doação de órgãos após o falecimento do seu familiar. As principais razões relatadas são desconhecimento do desejo do falecido, descontentamento com o atendimento hospitalar e a não compreensão da morte encefálica –que é a completa e irreversível parada de todas as funções do cérebro.

Campanha Meu Legado Salva

Para desfazer mitos sobre o tema e conscientizar a população sobre a importância de se avisar a família, ainda em vida, da opção de ser um doador, o HSL lançou em setembro a campanha para a doação de órgãos Meu Legado Salva.

site da campanha conta com informações direcionadas a quatro públicos: pessoas que querem ser doadoras; familiares de doadores; profissionais de saúde; e também quem precisa de um transplante.

Qualificação do corpo clínico para doação de órgãos é constante

Com o intuito de disseminar informações e qualificar o atendimento para as famílias de potenciais doadores, a OPO-2 realiza workshops, cursos e palestras. Outra iniciativa é a Capacitação para Determinação de Morte Encefálica –direcionada a médicos- que habilita os profissionais para a realização do respectivo diagnóstico, conforme preconizado pelo Conselho Federal de Medicina.

COMPARTILHAR: