Notícias

Filtro de Notícias
COMPARTILHAR:
18/07/2019
Quatro estudantes do Colégio Marista Champagnat estiveram no Hemocentro do Hospital São Lucas da PUCRS para conversar com o responsável do setor, o hematologista Marco Antônio Winckler, sobre como funcionam as doações de sangue dentro da Instituição. Eles buscavam informações para desenvolverem um aplicativo que incentive estudantes de Colégios Maristas a serem doadores de sangue.
A ideia do grupo do primeiro ano do Ensino Médio faz parte do projeto de Iniciação Científica do colégio. “Percebemos que o assunto é muito importante e pouco discutido, por isso pensamos em influenciar outros alunos a doar para um hospital que também pertence à Rede Marista”, explica a estudante Isabella Roesler, de 15 anos.
Winckler mostrou a estrutura interna e o local de armazenamento do sangue coletado no HSL e explicou como funciona a distribuição dentro da Instituição. Ele salientou a importância de as pessoas terem a consciência de fazerem doações de sangue de forma espontânea, sabendo que aquele ato pode beneficiar, no mínimo, três pessoas, ajudando a salvar vidas. “Quem doa, se sente muito feliz em poder ajudar alguém que nem mesmo conhece”, afirma.
COMPARTILHAR:
18/07/2019
Cirurgia foi realizada em criança de 9 anos
Médicos da equipe de traumatologia do Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) realizaram, pela primeira vez na Instituição, a técnica de congelamento para tratamento do tumor ósseo maligno (osteosarcoma) no fêmur de uma paciente de 9 anos. A técnica, conhecida como frozen e desenvolvida no Japão há duas décadas, ainda é pouco utilizada no Estado e chegou ao Brasil há alguns anos. Osvaldo André Serafini, chefe do Grupo de Tumores Ósseos do serviço de Ortopedia e Traumatologia do HSL e professor da Escola de Medicina da PUCRS, teve contato com o procedimento em um período de estudo realizado no Instituto de Ortopedia e Traumatologia , em Firenze, com o Prof.Dr. Capanna, na Itália, em 2013.

Como é feito o procedimento

Durante a cirurgia, os médicos retiraram o segmento de fêmur com o tumor, “descascaram”, limpando o osso e introduzindo-o por 25 minutos em um tanque com nitrogênio líquido, congelando a 190° graus negativos. Após, colocaram-no em água destilada na temperatura ambiente, e associaram a fíbula retirada do mesmo lado na perna e colocada no canal do fêmur como reforço, e reimplantaram com a ajuda de placas, fixando-o no seu local anterior novamente. Segundo Serafini, o procedimento mata as células malignas mas mantém o poder de osteoindu

COMPARTILHAR:
Publicado em Imprensa do HSL | Tags: ,
15/07/2019
No última dia 12, foi realizado na Escola de Negócios da PUCRS, o Seminário de Governança e Gestão da Rede Marista. O evento reuniu mais de 200 lideranças para discutir temas relacionados à gestão dos empreendimentos maristas.
O encontro iniciou com um painel institucional que abordou a missão marista em diferentes aspectos. “Somos uma instituição glob​al e devemos responder com audácia aos desafios do nosso tempo”, reforçou o Ir. Manuir Mentges, conselheiro provincial e de administração da Rede Marista e Pró-Reitor de Graduação e Educação Continuada da PUCRS. Juntamente com ele, participaram da exposição o Ir. Alberto Aparício, secretário executivo da Região América Sul, o Ir. Natalino de Souza, secretário executivo da Umbrasil e Ir. Odilmar Fachi, vice-presidente executivo da Rede Marista. Os Irmãos dialogaram sobre os principais desafios da atuação em rede e reforçaram os compromissos que a instituição precisa assumir a nível de gestão.
Na continuidade da programação, o diretor da MVB Consultoria em Governança, Marco Antonio Villas Boas, fez uma explanação sobre boas práticas de governança, destacando o papel dos/as gestores/as no desenvolvimento dessa administração em rede.
Na sequência, ocorreu o painel Liderança marista: busca da essência, legado e missão. Os responsáveis pela área de gestão de pessoas, apresen

COMPARTILHAR:
Publicado em Imprensa do HSL | Tags:
15/07/2019

Doença diverticular dos cólons (DCC) atinge mais de 50% dos pacientes acima de 65 anos no ocidente Com o aumento da expectativa de vida, cresce também o número de idosos e a prevalência das doenças que se desenvolvem com mais frequência com o passar da idade. Entre elas está a doença diverticular dos cólons (DCC), um transtorno que atinge mais de 50% dos pacientes acima de 65 anos no ocidente. Ela é responsável por um grande impacto no sistema de saúde, trazendo alto custo e diversas complicações. Os divertículos são hérnias, similares a pequenas bolsas, que se formam na parede do intestino grosso. Estudos recentes mostram que dietas pobres em fibras estão entre as causas desse surgimento, além de alterações da parede intestinal, motilidade colônica e fatores genéticos. “A dieta pobre em fibras e os alimentos refinados afetam o hábito intestinal e a pressão intracólica, além de estimular a atividade muscular do intestino, promovendo então uma hipertrofia das camadas musculares do órgão. Isso pode desencadear um processo inflamatório progressivo, até o estabelecimento da doença diverticular”, explica a gastroenterologista do Hospital São Lucas da PUCRS Marta Brenner Machado. A presença de divertículos sem o surgimento de inflamações e sintomas é conhecida como diverticulose colônica (DC). A doença diverticular é a progressão da diverticulose, acrescentada de sintomas. E

COMPARTILHAR:
15/07/2019

A honraria foi entregue pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia O Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital São Lucas da PUCRS (SOT) é referência nacional pelo desempenho e pela organização em seus atendimentos nestas áreas médicas. Concedida pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), a honraria foi entregue durante o 1º Encontro Nacional de Serviços Credenciados, em São Paulo, ocorrido no dia 28 de junho. Na ocasião, o Hospital foi representado pelo médico Francisco Karam, que compõe a equipe do SOT. Em 2018, o Serviço obteve a média mensal de mais de 2,2 mil atendimentos de emergência. Uma placa será instalada nas dependências do Hospital, na qual vai indicar que este setor possui todos os requisitos de um serviço credenciado, contando com todas as subespecialidades, do programa de residência. Os atendimentos destacados foram cirurgias do quadril, do joelho, da mão (cirurgia e microcirurgia), do ombro, tumores e cotovelo, coluna vertebral, traumas do tornozelo e do pé, traumatologia do esporte e pediátrica.   “Prestamos um serviço qualificado e um atendimento médico à comunidade por meio de consultas

COMPARTILHAR:
Publicado em Imprensa do HSL
10/07/2019
Em julho, é comemorado o mês de conscientização de câncer ósseo, por isso fique atento aos possíveis sintomas.
Os tumores ósseos representam 1% de todos os cânceres do corpo humano, sendo mais frequentes nas crianças e adultos jovens (entre 5 a 25 anos). Os sintomas mais constantes são dor e o aumento de volume (inchaço) da área afetada. Eles podem se localizar em qualquer osso, mas o osteossarcoma tem uma predileção pelos mais longos como o fêmur (localizado na coxa) e a tíbia (localizado na perna) próximos dos joelhos aonde acontece o nosso maior crescimento dos membros. A etiologia dos tumores ainda é desconhecida, mas acredita-se que possa ter a genética como o principal fator de risco.
O diagnóstico é realizado geralmente em consulta com um especialista (Oncologista Clinico ou Oncologista Ortopédico).
Exames como as Radiografias são essenciais, seguindo-se o estudo com tomografia, ressonância nuclear magnética e cintilografia óssea (mapeamento), visando ao melhor tratamento para cada caso. Já para o diagnóstico do osteossarcoma é realizada uma Biópsia Óssea.
O Tratamento dependerá do diagnóstico: tipo do tumor, tamanho e localização da lesão.
Fique atento a alguns sintomas importante:
  • Criança ou adulto jovem com queixas de dores que não melhoram;

COMPARTILHAR:
Publicado em Imprensa do HSL | Tags:
02/07/2019

Ações serão desenvolvidas em parceria com InsCer, Hospital São Lucas, Tecnopuc e as Escolas da PUCRS

Em julho, a PUCRS inaugura um centro de inovação, em parceria com a Grow+, voltado especificamente para a saúde e as ciências da vida, tendo a inovação e o empreendedorismo como motivação para a criação de startups nessas áreas. É o BioHub, projeto que reúne o Tecnopuc, o InsCer/RS, o Hospital São Lucas (HSL) e as Escolas da Universidade. O BioHub envolve um conjunto de ações com o objetivo de promover a inovação, conectando talentos e conhecimentos para gerar negócios inovadores em ciências da vida. Uma série de projetos será desdobrada para este fim. Um deles é a criação do Healthplus Innovation Center, espaço de coworking de startups de saúde com capacidade para 120 pessoas, instalado no sexto andar do prédio 99 do Campus e gerenciado em parceria com a Grow+, aceleradora de negócios gaúcha com atuação nacional e foco na saúde.

Bancada e Mercado

Outra iniciativa é a criação da disciplina Tecnologia, Inovação e Informática Aplicada à Saúde, na Escola de Medicina. A novidade na mudança do currículo está prevista ainda para 2019. Entre seus objetivos está levar aos alunos conceitos relacionados à área de ambientes de inovação e seu papel no desenvolvimento econômico e social e geração de startups e spin off aca

COMPARTILHAR:
Publicado em Institucional | Tags:
01/07/2019

Conheça a história de luta e superação de Vivian Turk, que já lutou contra o câncer de mama seis vezes. A descoberta de um câncer é um momento difícil para o paciente e seus familiares. Nesse instante, o medo e a preocupação tomam conta, tornando difícil buscar o otimismo e a força para seguir em frente. Essa força tão importante e complicada de encontrar Vivian Turk tem de sobra. Paciente do Chefe do Serviço de Mastologia do Hospital São Lucas da PUCRS, Antônio Frasson, ela já foi diagnosticada com câncer de mama seis vezes em 25 anos. Com o apoio e o conhecimento da equipe do Hospital, superou a batalha por cinco vezes e segue em busca de mais uma vitória com muita positividade e um sorriso no rosto. Como foi o processo de descoberta da doença? Quando eu descobri o câncer de mama na primeira vez, há 25 anos, eu tinha 42 anos e três crianças pequenas para criar. Cada vez que eu ia completar o quinto ano, que é quando dizem que a gente está curada, eu achava um novo caroço. Assim, eu já descobri isso seis vezes. Eu tinha assistido a minha mãe morrer de câncer de mama com 50 anos, então, era extremamente antenada comigo. A gente tem de se cuidar, pois se descobrimos os tumores ainda pequenos os tratamentos são muito eficazes. Sempre foi assim comigo. Em janeiro de 2017, encontrei um novo nódulo e voltei para o Hospital, agora, para participar

COMPARTILHAR:
27/06/2019

Itens foram arrecadados pelos alunos durante gincana A solidariedade é um dos valores da Rede Marista. No dia 25 de junho, os alunos do Colégio Marista Champagnat demonstraram que essa marca está viva em todos os nossos empreendimentos. Os estudantes doaram 170 garrafas de cinco litros cheias de tampas plásticas para a campanha Tampinha Legal do Hospital São Lucas da PUCRS. Os itens foram arrecadados durante uma tarefa da gincana do Colégio. A entrega foi conduzida pelo Coordenador de Pastoral do Champagnat, Anderson Oliveira, e o Serviço de Pastoral e Solidariedade do HSL.

COMPARTILHAR:
Publicado em Imprensa do HSL
26/06/2019
Designed by Kjpargeter / Freepik

Técnica surge como uma importante alternativa para combater a doença Você provavelmente ouviu falar sobre imunoterapia em 2018. Dois profissionais receberam o Prêmio Nobel de Medicina do ano passado por pesquisas na área, tornando essa estratégia para combater o câncer mais popular e reconhecida pelo grande público. Os resultados apresentados até o momento demonstram que estamos diante de uma mudança de paradigma e de uma esperança real de oferecer tratamentos mais efetivos para um grupo específico de pacientes. Mas, afinal, qual a diferença entre esses novos remédios e os tradicionais? Apesar dos avanços recentes, os estudos relacionados à utilização do sistema imune para combater células tumorais não são novos. No final do século 19, o médico norte-americano William Coley já realizava pesquisas, mesmo sem compreender os mecanismos exatos da relação desse sistema com o câncer, com a inoculação de partes de bactérias em tumores, buscando desencadear uma resposta contra a doença. No entanto, nas últimas décadas, a compreensão da biologia tumoral e do papel do sistema imunológico nesse combate, permitiu o desenvolvimento de novas drogas. O organismo contra-ataca Os tumores são células em multiplicação constante e utilizam diferentes vias para perpetuar sua sobrevivência. Uma das formas de manutenção do crescimento celular é a inibição do sistema imunológ

COMPARTILHAR: