Puerpério: cuidados especiais no período pós-parto

07/05/2019

Também conhecido como resguardo ou quarentena, o puerpério é um processo após o nascimento do bebê, fase de readaptação para o corpo feminino que tem início logo após o parto e dura em média até a 8ª semana. Neste tempo, cuidados são necessários, pois ocorrem diversas mudanças na mulher, tanto em termos hormonais quanto corporais.  Além disso, ocorrem fortes modificações físicas, emocionais e psicológicas nas mães, características que ajudam a aumentar a insegurança em relação aos cuidados necessários para garantir a saúde do bebê e dela na primeira fase da maternidade.

“A depressão pós-parto é muito comum tanto pela mudança hormonal quanto para a vida pessoal”, explica, João Steibel, ginecologista obstetra do Hospital São Lucas da PUCRS. Segundo o médico, as mulheres começam a se dar conta das mudanças que a maternidade propõe gerando um choque emocional forte.

O puerpério possui três fases e este período envolve transformações características como:

Puerpério imediato

Considerado os 6 primeiros dias, ocorre a partir da saída da placenta. Nesse momento, a mulher está aprendendo a amamentar e podem acontecer sangramentos intensos, chamados de lóquio.

É importante que, nesta fase, a mãe tenha o apoio de outras pessoas, além disso de receber orientações corretas em relação a amamentação, cuidados com o bebê e consigo mesma.

Puerpério tardio

Segunda fase do puerpério, ocorre entre o 11º e o 25º dia. Nessa fase, o sangramento (lóquio) diminui a intensidade e o útero começa a voltar ao seu tamanho normal. Segundo o obstetra, o órgão tem 7cm podendo aumentar até 40cm na gestação.

Puerpério remoto

Tem início a partir do 25º dia no pós-parto. Nele, o lóquio está em sua fase final, com a mulher podendo voltar a menstruar. De acordo com o médico, baixando a amamentação para 2 vezes ao dia, provavelmente, a mulher volte a menstruar e, com isso, retome o seu período fértil.

Principais cuidados durante o puerpério

 É importante ressaltar que no puerpério imediato é recomendado realizar leves caminhadas nas primeiras horas para diminuir o risco de trombose, melhorar trânsito intestinal, além de contribuir para o bem-estar. Recomenda-se que a consulta ao obstetra ou ginecologista em 6 ou 8 semanas após o parto, para verificar a cicatrização do útero. As relações sexuais deverão aguardar pelo menos 40 dias, tempo necessário para reconstituição do organismo.  De acordo com o Dr. Steibel, independentemente do tipo de parto que foi realizado, o ressecamento vaginal é comum, o que acaba gerando desconforto na relação sexual.

Algum grau de incontinência urinária pode persistir por 90 dias no pós parto independente se foi parto normal ou cesariana.

COMPARTILHAR:
Publicado em Dicas de Saúde